Um infográfico com os números que esclarecem bem o cenário das ferramentas para monitoramento de mídias sociais. Uma tendência para ficar ligado!

Outro dia estava lendo um artigo sobre o uso das mídias sociais por pequenas empresas. Uma coisa que me chamou a atenção, foi a dimensão que essas ações tomaram, deixando em pouco tempo a ideia de que somente grandes empresas iriam ser capazes de atuar nas mídias sociais adequadamente. Grande parte dessa “explosão”, é de responsabilidade das ferramentas que foram criadas nesse curtíssimo período de tempo.

Hoje, há uma centena de ferramentas de monitoramento de mídias sociais por aí. As próprias redes sociais estão incorporando algumas funcionalidades, como foi o caso do Twitter Search e do Facebook Insights. Mas essas ferramentas “incorporadas” geralmente falham e é aí que surge a necessidade de coisas mais elaboradas, dando espaço para as SMM Tools (Social Media Monitoring Tools).

A oneforty realizou uma pesquisa que esclarece bem alguns dados sobre essas ferramentas, como por exemplo: quem adquire esse tipo de ferramenta, quais fatores afetam a escolha, quanto pagam por essas ferramentas e o nível de satisfação dos usuários. Além dessas informações, foi também incluída uma lista com as ferramentas mais conhecidas, separadas por categorias.

De acordo com a pesquisa, cerca de 43% dos profissionais que adquirem essas ferramentas, assumem o cargo de gestores de mídias sociais, contra somente 17.1% de consultores e 19.3% de profissionais de agências. Apesar da pesquisa não informar qual foi a abrangência (se somente nos EUA ou se foi global), vemos que esse cargo vem ganhando destaque e importância.

Entre os fatores mais importantes para a escolha de uma ferramenta, não houve uma variação muito grande. Para a análise, os entrevistados tiveram que atribuir uma pontuação de 1 a 4 para cada item, sendo 4 o mais importante. Os 3 primeiros da sequência foram: 1. as métricas oferecidas; 2. a interface e 3. integração com diferentes redes sociais. Preço veio na sequência, porém com pouca diferença na pontuação.

Um item que não me chamou a atenção, foi em relação ao valor pago por essas ferramentas. A grande maioria (54.7%) aponta que gasta menos de 100 dólares ao mês. Em contraste, somente 2.2% apontaram que gastam acima de 10.000 dólares ao mês, o que me faz pensar se nesses casos, não seria mais válido contratar uma equipe de programadores para criar e manter as ferramentas.

Em seguida, são apontados os fatores de insatisfação. Cerca de 60% disseram que a ferramenta que usam é “okay”, mas se surgir algo mais interessante, eles iriam experimentar. O interessante é que somente 5.8% apontaram que estão insatisfeitos com as ferramentas e buscam algo melhor. Entre as questões que mais deixam a desejar, foram apontadas:

  • A ferramenta é excessivamente lenta e falha no fornecimento de dados precisos e confiáveis.
  • A ferramenta têm um número excessivo de erros e é confusa.
  • O preço é muito alto e as funcionalidades não o justificam.

Em relação ao Twitter, ferramentas de monitoramento do tipo desktop client (como Seesmic Desktop, TweetDeck e Tweetie) são as mais usadas, com 26.1% das respostas, seguidas pelas ferramentas do tipo mobile. As que são menos usadas (ou pelo menos foram apontadas dessa forma) são as ferramentas de auto-follow, com somente 4%. Será que o pessoal não está escondendo o jogo? Enfim, as ferramentas web-based respondem pela parcela de 15.5% das respostas.

Por último, segue uma lista de ferramentas Free ao final do infográfico, separadas por categoria e uma outra lista com as melhores divididas por preço (abaixo e acima de 500 dólares ao mês).

Infográfico SMM Tools

Créditos pela foto: Flickr.com – imaginedhorizons

Para mais info sobre ferramentas para mídias sociais, acompanhe nosso Twitter: @agendor! De olho nos números!