Se você tem um negócio, entender algumas questões fiscais e de contabilidade ao realizar uma venda é imprescindível para garantir que a empresa esteja em conformidade com a lei.

Assim, você poderá fazer uma boa gestão fiscal para que ele possa crescer de forma sustentável, sem qualquer tipo de pendência financeira. Você sabe, por exemplo, quais são os impostos sobre vendas?

Kit de Planilhas de Vendas

3 planilhas para te ajudar a planejar a sua rotina comercial

Ao realizar uma venda no Brasil, é preciso arcar com uma série de tributos que incidem sobre ela, seja de um produto ou de um serviço. E como ter este controle?

Grande parte vem das próprias notas fiscais emitidas pela empresa, que além de garantir informações completas sobre o que está sendo comprado ou vendido, também servem para que o governo possa fazer o recolhimento dos devidos impostos sobre vendas.

Os valores sobre as notas fiscais podem variar, mas o fato é que há taxas presentes em todas elas.

Neste post, você vai conhecer os principais impostos sobre vendas e suas alíquotas.

Impostos sobre vendas praticados no Brasil

Ser um bom vendedor ou gerente de vendas é uma tarefa complexa que exige talento.

E como se não bastassem todos os desafios de um vendedor, muitas vezes ainda é preciso cuidar da organização do negócio. E isso pode incluir até a parte tributário, como uma forma, por exemplo, de reduzir custos na empresa e evitar multas.

Por isso, ao fazer o controle de suas notas fiscais, fique de olho para ver se recolheu corretamente todos os seus impostos.

1- ISS

Obrigatório em qualquer nota fiscal, o Imposto sobre Serviços (ISS) é um dos mais importantes impostos sobre vendas. Veja como calcular o ISS:

A taxa é recolhida na cidade em que o serviço foi realizado, o que significa que a alíquota pode variar de acordo com o município, ficando normalmente entre 2% a 5% sobre o valor bruto cobrado pelo serviço.

Por exemplo, se a alíquota em seu município for de 5% e a nota fiscal de um serviço esteve no valor de R$ 2 mil, isso significa que o ISS será de R$ 100.

2- ICMS

O Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) é mais um dos impostos sobre vendas obrigatórios em notas fiscais de produto.

Trata-se de uma cobrança federal, referente a cada serviço prestado ou produto vendido, cujo valor também varia.

Desta vez, a variação ocorre de acordo com tabelas estabelecidas pelos estados onde circulam as mercadorias, e não pelos municípios.

3- COFINS

A Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS) sobre vendas incide sobre o faturamento mensal das empresas, portanto varia de acordo com a receita de cada uma.

Serve para financiar a previdência social, saúde e assistência social do trabalhador. Assim como o COFINS, há um outro tipo de tributo, a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), que é retido na fonte, ou seja, o valor é descontado diretamente do total da venda, ambos direcionados ao governo federal.

4- PIS ou PASEP

Já o Programa de Integração Social (PIS), assim como o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP), são utilizados para financiar o seguro-desemprego e o abono salarial de trabalhadores, seja de empresas públicas ou privadas.

5- IPI

O Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) só será cobrado sobre notas fiscais de produtos que estejam relacionados à uma industrialização.

Ou seja, quando há alguma mudança na natureza, no funcionamento, acabamento, apresentação ou finalidade daquele produto. O que significa que nos casos em que os produtos não sofreram nenhuma modificação desde a sua fabricação, não haverá cobrança de IPI.

As notas fiscais de produtos ainda podem ser cobradas pelo Imposto sobre Importação (II), Imposto sobre Exportação (IE) e Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro (IOF).

6- IRPJ

O último dos impostos sobre notas fiscais de nossa lista é o IRPJ.

O Imposto sobre a Renda das Pessoas Jurídicas (IRPJ) é um imposto cobrado a cada três meses ou a cada ano, de pessoas com cadastro jurídico.

Neste caso, a alíquota é de 15% do lucro registrado, com um adicional de 10% quando o lucro ultrapassa o valor de R$ 20 mil mensais.

Se você chegou até aqui, agora pode se acalmar, pois acabaram as siglas, os impostos e as cobranças.

De fato, são muitos impostos sobre vendas cobrados hoje dos empresários brasileiros, principalmente daqueles que se dedicam à vendas.

Mas a questão é que, infelizmente, eles são necessárias e obrigatórios, o que faz com que entender o assunto seja importante para tocar o negócio sem peso na consciência.

Lembre-se, também, que os valores sobre cada imposto sobre vendas são variáveis, e dependem tanto da cidade e estado onde a empresa está localizada e para onde vende seus produtos e serviços, como do próprio regime tributário escolhido, que pode ser Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real.

E agora que você entende quais são os principais impostos sobre vendas, basta apenas se atentar à emissão de notas fiscais e evitar erros que possam prejudicar seus negócios.

Uma maneira de facilitar o cálculo e a emissão das notas fiscais, é usando um gerenciador de notas fiscais eletrônicas. Esses softwares agilizam o processo e diminuem erros.

Este post foi escrito pela equipe da Nfe.io, um sistema de emissão e controle de notas fiscais que automatiza tarefas chatas e faz sua empresa ganhar tempo, performance e diminuir custos.