« Início Estratégias de vendas Ferramentas Produtividade Novas ideias Dicas de CRM Cases de CRM Atualizações do Agendor

5 Dinâmicas de motivação no trabalho muito fáceis de aplicar

Escrito por
Gustavo Paulillo

Parece brincadeira, mas dinâmicas de motivação no trabalho geram resultados

Quem nunca participou de uma dinâmica de grupo? Muito comum em processos seletivos, a técnica também pode ser usada para motivar equipes e desenvolver competências.

Agora fale a verdade: quantas vezes essas dinâmicas de motivação no trabalho pareceram um pouco forçadas, com “pagações de mico” desnecessárias?

Está sem tempo para ler o conteúdo? Gostaria de poder acompanhá-lo enquanto dirige, caminha ou realiza outra atividade? Então não perca tempo e ouça este artigo na íntegra. Basta clicar no play! Agradecemos o seu feedback nos comentários 🙂

Pensando nisso, selecionamos cinco dinâmicas de motivação no trabalho que são bastante interessantes. Algumas delas, já até usamos aqui na Agendor. Importante lembrar que em nenhuma delas as pessoas serão expostas a situações desagradáveis, pelo contrário: todo mundo vai se divertir bastante!

Mas antes de apresentarmos essas dinâmicas motivacionais:

  • Vamos discutir um TED Talk de Dan Pink, autor do famoso livro “To sell is human”;
  • Abordar o trabalho que tem sido feito no Vale do Silício com a The Go Games;
  • Detalhar as 5 fases de desenvolvimento de um grupo (para que você aprimore suas técnicas de Team Building).
Dinâmicas de motivação no trabalho

Evite dinâmicas de motivação no trabalho que podem deixar os participantes constrangidos

Motivação é um elemento importante da gestão de equipes, veja mais baixando este e-book: O Guia para a Gestão Eficiente da Equipe de Vendas

Dinâmicas de motivação no trabalho: tudo que você precisa saber

Como motivar uma equipe da melhor maneira: com prêmios em dinheiro ou gerando um sentimento de importância e prazer nos objetivos traçados ao grupo? E no vale do Silício, você acha que as dinâmicas de grupo usam flipchart e post-its?

4 dinâmicas de motivação no trabalho

Esta apresentação irá ajudá-lo a motivar sua equipe, gerar resultados e boas risadas

Quer saber a resposta para estas e outras perguntas? É só continuar a leitura…

Dinâmicas motivacionais no trabalho: dinheiro ou “motivação intrínseca”?

Em um TED Talk muito conhecido, o autor de diversos livros sobre vendas e motivação Dan Pink explicou em detalhes o trabalho de pesquisa de Sam Glusksberg, da Universidade de Princeton, que fez experimentos sobre a dinâmica de motivação no trabalho e formação de equipes.

Basicamente, Sam Glusksberg comparou duas tarefas diferentes (tarefas complexas versus tarefas simples) e dois tipos de motivação (recompensa versus colaboração com a pesquisa que desejava cronometrar o tempo de resolução do desafio).

Nas tarefas mais complexas, os resultados eram piores nos grupos motivados por dinheiro. Já em tarefas mais simples e objetivas, grupos incentivados monetariamente conquistavam melhores resultados em comparação aos que não recebiam incentivos financeiros.

Segundo Glusksberg, a pressão pelos resultados motivados por dinheiro fecha o foco dos trabalhadores em um objetivo, facilitando o sucesso.

No caso de tarefas complexas, o excesso de foco dificulta “pensar fora da caixa”.

Veja as duas tarefas do experimento de Glusksberg:

O chamado “problema da vela” usado por Glusksberg (mas criado por Karl Duncker) consistia em apresentar uma caixa de taxinhas, alguns fósforos e uma vela (figura 1) e pedir ao grupo que fixasse a vela na parede sem deixar que a cera pingasse na mesa.

A solução era fixar a caixa de taxinhas à parede, como apoio para a vela (figura 2), mas isso requeria certa habilidade cognitiva mais apurada.

Quando o mesmo problema era apresentado para outro grupo, mas com as taxinhas já fora da caixa (figura 3), ficava muito mais fácil matar a charada (figura 4) – o que favorecia os grupos focados, motivados por recompensas em dinheiro.

dinâmicas de motivação mo trabalho

O problema da vela, criado por Duncker e adaptado por Glusksberg – fonte: BlogClienteSA

Mas Dan Pink ainda cita outros estudos. Um deles realizado pelo professor Dan Ariely e alguns de seus colegas, com alunos do MIT, e outro feito pela Faculdade de Economia de Londres.  A conclusão de ambos é intrigante e muito semelhante ao mostrado por Glusksberg: incentivos financeiros podem resultar em um impacto negativo na performance como um todo.

Assista à palestra de Pink e veja seus divertidos comentários sobre esses estudos de dinâmica da motivação em grupos:

Como são as dinâmicas de grupo do Vale do Silício?

O fato de bônus, segundo essas pesquisas, não serem adequados para tarefas muito complexas, não significa que você deve abandoná-los.

E para mostrar o outro lado da moeda, trouxemos dados de uma entrevista concedida à revista Forbes por Jenny Gottstein, diretora de “Games” da The Go Games, empresa que realiza dinâmicas de motivação e engajamento de equipes de uma foma inovadora que você nunca imaginou!

Jenny revela que projetos de motivação e Team Building são uma forma de atrair talentos. Isso porque, para a geração millennium, ter uma cultura de trabalho colaborativo incentivada nas empresas é tão importante quanto oferecer salários e benefícios.

Esse dado apenas confirma as informações da palestra de Pink: tarefas complexas precisam de outros motivadores, além dos financeiros.

Para isso, a Go Games cria dinâmicas verdadeiramente cinematográficas, em que os participantes se sentem realmente vivendo uma aventura. Afinal, nesse tipo de empresa, só as melhores experiências interessam a seus colaboradores.

Assim, temas como espionagem, shows de música ao vivo e aventuras em uma ilha são produzidos para empolgar as equipes ao máximo.

Confira alguns desses games motivacionais:

Assista ao vídeo de um deles:

A Go Games ainda trouxe mais alguns dados interessantes nesse artigo.

  • 49% das empresas que participaram de seu estudo (citado na entrevista) acreditam que grupos entre 10 e 30 participantes são os mais adequados para promover o Team Building;
  • 61% dos participantes afirmam que, frequentemente ou muito frequentemente, esse tipo de atividade é autêntica e significativa para suas carreiras.

dinâmicas de motivação no trabalho

Além disso, para 51% dos Millennials (pessoas entre 21 e 40 anos), dinâmicas de Team Building frequentemente ajudam a reter talentos, enquanto para os Baby Boomers (com idade entre 41 e 60) apenas 32% afirmam o mesmo.

Com isso, fica claro que dinâmicas de motivação de grupos são mais efetivas para faixas etárias jovens, ainda mais quando são tão glamourosas quanto as imersões produzidas pela Go Games.

Outro dado interessante é que os departamentos que mais acreditam que o investimento em Team Building é válido para as empresas são os de Gestão de Projetos, Operações, Serviços Administrativos e Marketing.

dinâmicas de motivação no trabalho

As 5 fases da formação de grupos de trabalho

Quando um grupo de trabalho é criado, ele demora um certo tempo para conquistar a sinergia necessária para que sua performance seja ideal e seus indicadores de desempenho revelem isso.

Nessa jornada de autoconhecimento em grupo, ações como quebrar o gelo e lapidar conflitos, fazem parte de uma sequência de etapas. Tal sequência foi estudada e transformada em um modelo por Bruce Wayne Tuckman, veja os detalhes:

Fase 1: Formação

Muita vontade de trabalhar, mas poucos resultados. As pessoas ainda estão se conhecendo e pode haver insegurança em relação ao líder, que precisa consolidar-se nesta posição.

Fase 2: Tempestade

A dinâmica de motivação no trabalho se altera, o entusiasmo diminui, a performance cai e surgem conflitos na busca do entendimento, da delimitação de territórios e de responsabilidades. É preciso atenção para evitar que o grupo se dissolva antecipadamente por não superar o período de acomodação.

Fase 3: Normatização

O entusiasmo retorna. O grupo começa a definir sua identidade, formar “sua turma” e entender seus papéis. O líder se consolida e determina competências, atividades e tarefas, agora, com o reconhecimento da equipe.

Fase 4: Performance

Com tudo ajustado e combinado, a dinâmica de motivação no trabalho é acelerada, o que leva o grupo para sua fase de mais alta performance. O líder pode se dedicar a funções mais estratégicas e de planejamento, pois a necessidade de supervisão e acompanhamento diminui.

Fase 5: Dissolução

Uma das regras da motivação diz que é preciso ter um objetivo, um desafio. Quando o grupo atinge tal objetivo, sua razão de ser deixa de existir. Por isso, ou ele é aproveitado em um novo projeto ou será dissolvido naturalmente.

Cabe ao líder parabenizar e reconhecer as conquistas e tentar desfazer o clima negativo, no caso de separação do grupo.

Veja o infográfico que criamos para ilustrar a dinâmica de motivação no trabalho durante a formação de grupos:

dinâmicas de motivação no trabalho

5 exemplos de dinâmicas de motivação no trabalho

Agora que você entendeu a teoria, vamos à prática!

Tivemos o cuidado de escolher dinâmicas de motivação no trabalho em grupo que podem ser aplicadas em separado ou em uma ordem crescente, em que o aprendizado de cada uma se soma à seguinte, gerando uma sinergia e um acúmulo de conhecimento.

Preparado para conhecê-las? Então vamos lá!

Dinâmica de motivação no trabalho 1: aceita o desafio?

Essa é uma dinâmica quebra-gelo. É fácil de ser feita, divertida e ideal para ser a primeira da série. Além disso, como tem um desfecho surpreendente, já prepara o espírito dos participantes para “pensarem fora da caixa” durante as próximas atividades.

  • Objetivo: motivar, integrar o grupo, desenvolver competências relacionadas à coragem, confiança, superação de desafios e busca adequada de informações.
  • Materiais necessários: uma caixa embrulhada em papel negro ou pardo. Ela tem mais ou menos o tamanho de uma caixa de sapatos e é impossível identificar do que se trata. Dentro dela há instruções para se cumprir um desafio.
  • Vantagens para equipes de vendas: entender que o risco sempre está presente em negociações e vendas, e que é preciso trabalhar a autoconfiança para não perder grandes oportunidades.

Execução:

1. Divida as pessoas em dois grupos iguais.

2. Posicione-as em um círculo de forma que os integrantes dos grupos se alternem, isto é, integrantes do mesmo grupo nunca estarão lado a lado.

3. Entregue a “caixa do desafio” para um participante qualquer.

4. Explique que dentro daquela caixa existe um grande desafio a ser cumprido. Você vai tocar uma música e, quando parar, a pessoa que estiver com a caixa na mão (ela estava sendo passada de um para o outro) terá de cumprir o desafio. Se falhar, precisará pagar um mico, será excluída da dinâmica e seu grupo perde 4 pontos. Se cumprir o desafio, ganha 3 pontos e não paga o mico.

5. A música começa a tocar e, quando para, um dos participantes está com a caixa na mão.

6. Nesse momento você adiciona uma nova regra na dinâmica, com 3 alternativas:

  • Ele pode tentar cumprir o desafio.
  • Ele pode passar o desafio para outra pessoa do seu grupo.
  • Ele passa a caixa para alguém do grupo adversário.

7. Caso a pessoa não aceite o desafio, você também dá a oportunidade da nova pessoa escolhida optar por uma das 3 alternativas, só não pode devolver a caixa para quem lhe entregou.

8. Pela terceira e última vez (caso uma nova pessoa seja escolhida), você dá a ela a oportunidade de optar por uma das 3 alternativas.

9. Agora, quem receber a caixa precisará cumprir o desafio. E, ao rasgar o papel e desembrulhar, vai perceber que se trata de uma caixa de bombons e que o desafio é comer à vontade!

Com esse desfecho, além de boas risadas, a moral da história fica clara: é melhor encarar desafios com coragem do que passar a “batata quente” para os outros.

Para aqueles que não fogem diante de um desafio, indicamos dois posts:

Dinâmica de motivação no trabalho 2: quem eu levo?
  • Objetivo: motivar os participantes e desenvolver habilidades de reconhecer qualidades nos outros e de como os outros nos enxergam.
  • Materiais necessários: envelopes, papel e lápis.
  • Vantagens para equipes de vendas: trabalhar a empatia, entender que sua linguagem corporal e não verbal pode transmitir mensagens diferentes do que se deseja, entender como os outros o enxergam e quais suas qualidades e defeitos, que devem trabalhar para interagir melhor com a equipe de vendas.

Execução:

1. Distribua os envelopes para o grupo e peça que ninguém abra antes de ouvir as instruções.

2. Dentro do envelope existe um questionário com 3 perguntas:

  • Se você se perdesse em uma ilha deserta, que pessoa do grupo gostaria de ter com você?
  • Se tivesse que organizar uma festa, que pessoa do grupo gostaria que te ajudasse?
  • Se ganhasse um prêmio em um concurso e pudesse escolher 3 pessoas do grupo para ir com você em um cruzeiro, quem levaria?

3. Avise que as respostas são confidenciais, que ninguém saberá quem escolheu quem.

4. Ninguém deve assinar os questionários.

5. Os envelopes são recolhidos.

6. Ao final das 2 próximas dinâmicas, os envelopes serão devolvidos e as pessoas devem preencher de novo os nomes, podendo alterar suas escolhas anteriores.

O interessante é perceber que as opções podem mudar em função dos trabalhos em grupo desenvolvidos. Posteriormente, deve-se somar os resultados individuais dos participantes e mostrar a eles, em particular, como foram classificados pelo grupo antes e depois das dinâmicas.

Prefira dinâmicas fáceis de organizar, seja objetivo!

Prefira dinâmicas fáceis de organizar, seja objetivo

Dinâmica de motivação no trabalho 3: vamos dar as mãos?
  • Objetivo: motivar, integrar o grupo, desenvolver habilidade de trabalho em equipe e liderança.
  • Vantagens para equipes de vendas: preparar-se para campanhas sazonais e eventos que exigem muito trabalho da equipe, em situações que podem se tornar “caóticas”. Consolidar a percepção de que é preciso planejar ações e não “apagar incêndios”. Desenvolver a liderança e a colaboração sinergética.

Execução:

1. O grupo forma uma roda, todos de mãos dadas.

2. Diga para que todos memorizem quem segura sua mão direita e esquerda.

3. Agora todos soltam as mãos e passam a andar aleatoriamente pela sala.

4. De repente, você põe uma cartolina no chão e pede que “todos se espremam” sobre ela.

5. Então, você pede que todos deem as mãos para seus pares originais.

6. Um “bolo de gente” se formará.

7. O objetivo é formar novamente o círculo original sem soltarem as mãos.

8. Eles terão de passar uns sobre os outros, deitar no chão, se arrastar etc.

Uma dinâmica excelente para exercitar a liderança informal e o trabalho em equipe.

Confira três dicas de leitura para incentivar o espírito de colaboração entre os colaboradores e times:

Dinâmica de motivação no trabalho 4: ilha do tesouro
  • Objetivo: motivar, integrar o grupo, desenvolver habilidade de trabalho em equipe e superação de desafios.
  • Materiais necessários: uma caixa de bombons e folhas de jornal.
  • Vantagens para equipes de vendas: evidenciar que bater metas individuas, sem que o resto da equipe o faça, não levará a empresa muito longe. Só com todos trabalhando juntos, metas pessoais, do grupo e da empresa serão alcançadas.

Execução:

1. Coloque uma folha de jornal aberta em uma extremidade da sala com a caixa de bombons em cima.

2. Na outra extremidade, coloque uma folha de jornal para cada dupla de participantes, lado a lado.

3. Cada dupla deve ficar em pé sobre seus jornais.

4. O objetivo é chegar ao outro lado da sala e salvar-se na ilha, sem tocar os pés no chão.

5. O jornal pode ser movido, mas não pode ser rasgado ao meio.

6. Quem tocar no chão propositalmente é desclassificado.

7. Se dois grupos chegarem ao mesmo tempo na ilha, eles dividem o prêmio.

8. Determine um tempo máximo para cumprirem a tarefa.

Só é possível chegar ao outro lado, se uma dupla convidar a outra para subir em seu jornal e, em seguida, pegar o jornal vazio e colocar mais adiante – e assim sucessivamente, até as duas duplas chegarem ao prêmio.

Caso nenhuma dupla perceba o truque no tempo determinado, encerre a brincadeira e mostre como fazer. Depois disso, discuta a importância da colaboração entre equipes para atingir resultados em conjunto.

Use as dinâmicas para conhecer melhor sua equipe.

Use as dinâmicas para conhecer melhor sua equipe

Dinâmica de motivação no trabalho 5: teatro de vendas
  • Objetivo: treinar técnicas de argumentação e negociação, desenvolver a desinibição e a empatia, aprender pelo exemplo, apoiar a equipe.
  • Materiais necessários: uma mesa de negociação, folhas de papel e canetas.
  • Vantagens para equipes de vendas: toda a dinâmica é voltada para um exercício de vendas complexo.

Execução:

1. Divida o grupo em dois times, por sorteio.

2. Um grupo (Grupo 1) assumirá o papel de um time de representantes de vendas de uma empresa de medicamentos.

3. O outro (Grupo 2) representará uma ONG de ajuda humanitária.

4. O objetivo do Grupo 1 é maximizar seu lucro monetário.

5. O objetivo do Grupo 2 é conseguir adquirir o medicamento pelo menor preço, se possível, de graça. E ele precisa enviar aos doentes em 24 horas, ou não surtirá efeito sobre a população afetada.

6. O preço mínimo de custo dos medicamentos para a empresa de pesquisa é de R$ 80 mil. Mas o Grupo 2 NÃO pode saber disso! Nem que sua meta de lucratividade mínima é de 20%.

7. O Grupo 2 tem apenas R$ 25 mil em caixa. Mas conta também com três furgões de transporte no valor de R$ 12 mil cada. Uma das voluntárias aceitou oferecer seu anel de diamante no valor de R$ 25 mil como parte do pagamento e, além disso, dizem que mais R$ 35 mil em doações chegarão ao seu caixa em 48 horas. Essas informações também só são conhecidas pelo Grupo 2, mas ele poderá revelá-las durante a negociação, se quiser.

8. O Grupo 1 não pode aceitar cheques e o país em questão está sob revolta, com muitos roubos e saques em andamento.

9. Para transportar os medicamentos, o Grupo 2 necessita de, pelo menos, um furgão.

10. Os dois grupos devem se reunir em separado por 30 minutos, determinar estratégias e táticas e escolher um representante para negociar na mesa.

11. Os dois representantes se reúnem na mesa de negociação, diante dos dois grupos, e negociam por 20 minutos. Os demais participantes não devem se manifestar.

12. Os grupos se separam novamente e discutem novas estratégias por 15 minutos.

13. Os dois representantes se reúnem novamente, a negociação durará mais 15 minutos. Mas com um detalhe: cada grupo terá direito de enviar duas mensagens de texto para seus representantes durante a negociação. Para isso, basta um deles dizer: mensagem de texto! E entregar um bilhete de no máximo 20 palavras para seu representante na negociação com algum conselho, sem que o adversário veja seu conteúdo.

14. Após os 15 minutos a negociação se encerra e os dois representantes têm mais 3 minutos para bater o martelo ou não, sem interferência dos outros. A dinâmica pode terminar sem que o negócio seja fechado, não há problema algum e isso também não significa que um grupo vencerá.

Após essas etapas, os grupos devem se reunir amistosamente, comentar suas táticas e estratégias e tentar encontrar aprendizados com base na dinâmica.

Além de dinâmicas de motivação no trabalho, existem outras formas de motivar sua equipe. Confira dicas nesta postagem: Reconhecimento no trabalho traz motivação e resultados.

Funil de Vendas do Agendor Coloque em prática essas dicas com nossa plataforma de aprimoramento em vendas Teste por 14 dias grátis!

Novas Ideias



Artigos relacionados

Venda com todo seu potencial!

Experimente por 14 dias grátis