Você sabe como definir o preço de um serviço?

Essa é uma dúvida recorrente entre empresários e este cálculo é realmente bastante complexo. Por isso deve ser feito com atenção.

Kit de Planilhas de Vendas

3 planilhas para te ajudar a planejar a sua rotina comercial

Uma estratégia comum entre aqueles que abrem um novo negócio, com o objetivo de entrar rapidamente no mercado, é simplesmente cobrar um preço abaixo da concorrência.

Essa é uma escolha muita perigosa, na verdade!

Isso acontece, muitas vezes, porque esses empresários não têm certeza de quanto os potenciais clientes estão dispostos a pagar. Ou, por outro lado, por medo de não atingir o volume de vendas necessário para cobrir as despesas.

Seja qual for o motivo, como essa não é uma tarefa fácil, vamos explicar neste post como definir o preço de um serviço.

Está sem tempo para ler o conteúdo? Gostaria de poder acompanhá-lo enquanto dirige, caminha ou realiza outra atividade? Então não perca tempo e ouça este artigo na íntegra. Basta clicar no play! Agradecemos o seu feedback nos comentários 🙂

Faremos isso de forma que a quantia cobrada traga a rentabilidade adequada para o seu negócio e, da mesma forma, faça com que o cliente reconheça todo o valor de sua oferta.

Como definir o preço de um serviço

Passo a passo de como definir o preço de um serviço

Primeiro passo: despesas e custos

Antes de mais nada, é essencial listar todas as despesas e custos envolvidos na prestação do serviço. Logo, é preciso saber o tempo médio para a realização de cada atividade, e, consequentemente, o custo por hora.

Portanto, isso significa que nessa primeira etapa devem-se definir três fatores:

  • Custo dos Materiais: Custo dos Materiais necessários para fornecer o serviço.
  • Custo do Trabalho: valor do trabalho para prestar um serviço, calculado com base no salário em função das horas necessárias para completar o serviço.
  • Despesas Fixas (DF): são os gastos indiretos para a prestação de serviços, como por exemplo, o aluguel, energia, etc.

A melhor forma de visualizar esses conceitos e aprender como definir o preço de um serviço é utilizando um exemplo prático.

Assim, imagine que você vai definir o preço de pintura de veículos. Para prestar esse serviço, a empresa tem os seguintes gastos:

  • Custos Variáveis (CV): jateamento de areia, massa, lixa, tintas e mão de obra;
  • Despesas Fixas: aluguel, energia elétrica, internet, água.

Dessa forma, é preciso identificar quanto o serviço consome dos custos. Por exemplo, quanto de jateamento é necessário, a massa empregada, uso das tintas etc.

Aqui, o método mais utilizado para se saber o custo do serviço  é o de Custeio por Absorção, também chamado Custeio Integral ou Custo Integral. Ele recebe esse nome exatamente por absorver os Custos Fixos no custo final de cada serviço. O objetivo é garantir que cada serviço absorva uma parcela dos custos diretos e indiretos, relacionados à sua prestação.

Ainda considerando nosso exemplo, depois que fizer os cálculos, observam-se os seguintes valores:

Serviços / Produtos Valores
Custos Variáveis

Jateamento de areia

Massa

Lixas

Tintas

Mão de obra

TOTAL:

 

R$ 100,00R$

20,00

R$ 20,00

R$ 240,00

R$ 400,00

R$ 780,00

Despesas Fixas

Aluguel

Energia elétrica

Internet

Água

TOTAL:

 

R$ 3.000,00

R$ 800,00

R$ 150,00

R$ 250,00

R$ 4.200,00

 

Ou seja, para cada pintura os Custos Variáveis serão de 780,00 e a empresa terá um total de Despesas Fixas de 4.200,00.

Segundo passo: Margem de Contribuição

Neste passo, é necessários fazer uma estimativa da quantidade de serviços mensais prestados. Para isso, existem duas alternativas:

  • Se o seu negócio é novo, você pode estabelecer esse número baseado na observação da concorrência.
  • Caso seu negócio esteja estabelecido, use seus dados de vendas e faturamento para definir a média mensal de serviços prestados.

Atenção! A quantidade de serviço mensal estipulada deve ser o mais precisa possível.

Uma vez que esse número foi definido, é necessário estabelecer a Margem de Contribuição. Isto é: quanto do valor do serviço contribuirá para a empresa cobrir todos os custos e Despesas Fixas e, ainda, gerar lucro.

No nosso exemplo, 10 serviços de pinturas por mês correspondem a 10 x 780, ou seja, os Custos Variáveis chegam a R$ 7.800,00 por mês. Já as Despesas Fixas foram calculadas na planilha e somaram o valor de R$ 4.200,00.

Logo, a margem de contribuição deve cobrir um total de R$ 12.000,00 e ainda gerar um lucro.

Assim, se você deseja ter um lucro de R$ 10.000 por mês, sua receita de vendas deve ser a soma das Despesas Fixas e Custos Variáveis com este valor, como mostramos abaixo:

Receita de Vendas = 10.000 + 4.200 + 7.800 = R$ 22.000,00

Se dividirmos esse valor por 10 vendas por mês, o preço de cada pintura será de R$ 2.200,00.

Portanto, caso o valor final encontrado esteja muito fora do preço de mercado é porque a margem de contribuição está muito baixa ou muito alta. Em um bom cenário, em que as previsões do número de serviços de pintura estejam certas, você terá lucro.

Mas nem sempre é assim. Então, é importante saber um outro conceito: o de Ponto de Equilíbrio (PE) .

Terceiro passo: Ponto de Equilíbrio

O Ponto de Equilíbrio, também chamado de Ponto Crítico de Vendas ou Break-Even-Point, mostra o mínimo necessário de serviços para cobrir todos os custos e despesas da empresa.

A fórmula para encontrarmos o Ponto de Equilíbrio (PE) é: Despesas Fixas (DF) divididas pelo resultado da subtração do preço final do serviço (P) dos Custos Variáveis (CV).

PE = DF / (P-CV)

Voltando ao nosso exemplo, cada pintura custará R$ 2.200,00 e os Custos Variáveis serão de R$ 780,00. Já que as nossas Despesas Fixas são de R$ 4.200,00, substituindo os valores na fórmula, teremos:

PE = 4.200 / (2.200 – 780) = 2,95

Isto é, precisaremos de três pinturas por mês para ficar no zero a zero. Ou seja, não terá lucro, apenas cobrirá as despesas e custos.

Portanto, com este preço de venda de R$ 2.200,00, o lucro só começa a partir da quarta pintura mensal.

Agora que você sabe como definir o preço de um serviço, trate de ajustar o valor que cobra de seus clientes e descubra quanto precisa vender para ter o lucro mensal que deseja!

A precificação de produtos e serviços é fundamental para a Gestão Orçamentária de seu negócio. Isso porque é o preço que determina quanto entrará em caixa e, consequentemente, quanto poderá investir para melhorar ainda mais a empresa.

Isso aliado a um Orçamento Empresarial bem feito, te permitirá acompanhar questões importantes como a quantidade de serviço prestado que foi planejado e o que de fato foi realizado. Tudo para permitir maior previsibilidade de resultados.

Este artigo foi escrito pelo time da Treasy, uma solução completa para Planejamento e Controladoria. Com ele é possível elaborar seu Orçamento Empresarial de forma colaborativa e confrontar os resultados mensalmente.